Entre nós

Tem passado diariamente na RTP 2 um excelente programa de entrevistas produzido pela Universidade Aberta. Passa todos os dias às 17h30. Hoje foi com o Pedro Tamem e amanhã será com o Manuel Paiva. No site do programa estão disponíveis em vídeo pequenas introduções com a pessoa a ser entrevistada. A Raquel Santos (que não conheço, mas gostava de conhecer) é boa como entrevistadora, o que também ajuda.
Anúncios

Estarreja sem fios

O Jornal da Ria traz na sua última edição uma grande fotografia sobre a inauguração do Espaço Internet na Murtosa com dois presidentes de câmara a sorrir na capa. E eu sorrio também ao ler a notícia e ao ver que a Murtosa foi último concelho da AMRia a ter um espaço destes. E que só este ano é que temos os 11 concelhos da AMRia cobertos com este tipo de valência. É que tudo isto mostra o atraso com que estamos na área do acesso livre à net. Não deixa de ser importante o esforço que o Aveiro Digital e o POSI fizeram para dotar todos os concelhos com internet. Mas foi um esforço tardio, pois já devíamos estar a arrancar com parques wireless ao ar livre como aquele que existe em Aveiro no parque da Fonte Nova. Mas parques wireless é algo que ainda não entrou no nosso vocabulário local e não sei quando vai entrar. O Portugal sem fios tem avançado devagar. Começou nas universidades e agora começa a chegar devagar ao cidadão comum. Era bom que a AMRia pensasse também nisso e que brevemente fosse possível ter wireless gratuito nas bibliotecas municipais e mesmo em parques ao ar livre. Aqui fica a ideia para Estarreja. Wireless em toda a biblioteca e um futuro parque wireless ao ar livre no centro Ciência Viva Egas Moniz. E já agora outro em Fermelã também fazia jeito.

Fogo II

Em resposta ao post sobre os fogos, o Vladimiro Jorge lança mais umas achas para a fogueira sobre os Canadairs e despesas militares. O que é importante perceber em toda esta questão é que uma coisa não tem nada a ver com outra. O país pode ter submarinos como também pode ter Canadairs. A Grécia tem 8 submarinos na sua Marinha e encomendou mais 4 há tempos e isso não impede que tenha Canadairs. E é um país pobre como o nosso. Portanto, não vale a pena dizer que em vez de comprar submarinos devemos comprar Canadairs. Faz-me lembrar aquela conversa pacifista do tipo: uma fragata dá para fazer um hospital, um avião de combate uma escola e etc…

Silêncio da morte

Silêncio da morte, perfeito

como uma flor e seu cálice.

Nudez de céu de ponta a ponta

azul sem mácula.

Neve por toda a eternidade

consumada nos píncaros.

Silêncio da morte, campo

de ópio. Adormecedor

balanço entre margens.

Anjos que se debruçam e alçam,

confundindo-se com os turíbulos.

Contemplação beatífica

de ciprestes. Gozo

do vácuo.

Silêncio da morte, pavor

das furnas. Trágica escassez

de cinzas. Fera

de olhos oblíquos espreitando

a ampulheta.

Impossível recuo. Tempo máximo.

Salto de corpo ao mar,

urgente, urgente mar

sobre a presa, fechando-se.

Henriqueta Lisboa in “Flor da Morte”