Super-heróis

Num dia como o de hoje os super-heróis davam jeito…

É o Super-Homem dando voltas
contrárias ao redor da Terra
para retroceder o tempo

São os ponteiros dos relógios
refazendo horas nas paredes dos escritórios

São as oito longas arestas
que ressurgem das ruínas, uma a uma
entre os pavimentos, até atingir o céu

É Mandrake com a cartola nas mãos,
olhos e dentes cerrados,
encadeando as sílabas mágicas numa cabala doída

É e. e. cummings construindo sobre o
tablado duas sílabas, o Homem-Borracha
esticando para alcançar as letras que caem

É o mantra-gerúndio. Que o passado ressurja
Agora: dominós se ergam, cartas de baralho
e lajes de concreto retornem ao lugar

São Withman, Thoreau e Ginsberg
escrevendo a palavra: V I D A

soprando-a em uníssono das colinas,
sobre as pradarias
do topo das sequóias
à ponte do Brooklyn

O vulto veloz de Kal-El rasga o céu da ilha,
o planeta gira ao contrário,
centenas, milhares, milhões de vezes
até os aviões pousarem de ré, prata silente
nos aeroportos de origem, sua fuselagem
sob os primeiros raios do sol,

e os passageiros, um a um,
aos fartos breakfast, aos beijos de bom dia
às suas camas, aos seus sonhos
do dia anterior

Joca Reiners Terron

Anúncios

Em breve

Em breve prometo dedicar alguma análise à lista de candidatos do PS às Juntas e Câmara. Enquanto não arranjo tempo para isso fica a sugestão de verem Estarreja do espaço. Este serviço do Google permite seleccionar imagens de satélite do nosso concelho com um pormenor admirável.

Uma pequena nota

Já agora como não tive hipótese de postar nos últimos dias, um pequeno comentário sobre a última assembleia. Tive a oportunidade de confirmar que a grande testemunha do despejo de lixo no terreno do Presidente da Junta de Freguesia de Salreu, foi um deputado municipal do PS. Ora este deputado assistiu por diversas vezes a essa situação e em vez de ter avisado o dono do terreno (que ele sabia muito bem quem era) deixou a situação correr e depois foi avisar o jornal do que se estava a passar. Ora o referido deputado concerteza que viu que além das viaturas da câmara, andaram por lá outras viaturas particulares a despejar lixo. Sabia também muito bem que tipos de lixo despejaram as viaturas da câmara e que tipos de lixo despejaram as outras viaturas. Ora concerteza que terá passado essa informação ao jornal e se o jornal tivesse sido sério na sua abordagem tinha na sua reportagem distinguido uma situação da outra. Mas não, preferiu meter tudo no mesmo saco, quando sabia perfeitamente o que uns e outros andavam por lá a despejar. Ora isto mostra que houve obviamente má-fé na forma como as coisas foram denunciadas. Ou seja, preferiram ignorar que quem lá despejou o lixo impróprio foram particulares e não as viaturas da câmara. E preferiram ignorar porque lhes dava jeito para a notícia que queriam fazer. É pena, mas já calculava que fosse assim.