Outra implicâncias

Existe aqui ao lado, no canto superior direito do blogue, um rectângulo que permite fazer pesquisas por palavras neste blogue. Se puserem lá a palavra “lamas” poderão ver o que escrevi sobre o assunto. No meu blogue mais antigo também existem mais posts sobre o mesmo tema. Estão disponíveis para quem quiser ler. E chamo atenção para isto porque parece que há gente que não lê com atenção o que eu escrevo. O recado vai tanto para o Vladimiro, como para o Abel Cunha. Comentarei nos próximos dias os posts que escreveram sobre as minhas posições.

Mas gostava já de dizer o seguinte. Foi dado em reunião de Câmara aos vereadores todo o historial das acções que a Câmara tomou ao longo destes 10 meses em relação ao caso das lamas de Canelas e também os resultados das análises feitas. A seu tempo chegarão às restantes entidades (Junta e Comissão). Sugeria, por isso, aos comentadores, que antes de falarem lessem o referido historial, que é para não tecerem comentários sobre o que não sabem. E se encontarem alguma afirmação falsa nesse historial cá estarei para ouvir. Como tenho o historial comigo terei todo prazer em fornecer uma cópia, mas acho que em breve o terão em mãos.

Não tenho também por hábito tirar o mérito a ninguém. Quando o caso surgiu denunciado pelo Abel escrevi isto. Escrevi também no Jornal de Estarreja sobre o mesmo tema salientando a importância dos blogues nestes casos. Nunca tirei o mérito ao Abel Cunha pelo papel que teve na denúncia da situação. Espero que isto fique bem claro. Agora julgar que a Câmara não fez nada quando não se tem conhecimento do que a Câmara andou a fazer é no mínimo precipitado. E sobre isso falarei nos próximos dias.

Mas ainda há pouco tempo escrevi que nem sempre se falou deste assunto da forma mais rigorosa. Pelos vistos, há comentadores que continuam a fazê-lo.

Anúncios

3 thoughts on “Outra implicâncias

  1. Muita gente implica com o autor deste blogue, o que vale é que a máxima que está em alta é aquela do “com o tempo tudo esquece…”.

    Adios…

  2. Caro JM,
    neste infeliz assunto, pessoalmente recuso qualquer menção de mérito que não poderá existir em assunto desta natureza, aliás, deveríamos envergonhar-nos colectivamente por permitirmos que casos como este possam acontecer no nosso Concelho. E não me refiro apenas ao depósito ilícito das lamas, incluo igualmente a gestão do processo de apuramento das responsabilidades.

    Reafirmo o que já escrevi sobre o comportamento da CME e da CCDRC. Até este preciso momento, a CAIA ou a JF continuam a saber que existem análises através do folclore criado pela CME na imprensa. Concretamente, o assunto continua a ser usado para gerar dividendos políticos e não para esclarecer este imbroglio.

    Ou seja, os cidadãos não são a primeira preocupação dos poderes e, deveriam ser. Das suas palavras depreendo que a CME informará os ofendidos – população de Canelas – interessados, quando oentender, deduzo, quando o assunto já não interessar políticamente.

    Quanto à intervenção da CME, esperarei para ver – já espero há 10 meses – e, se me conhece, saberá que, caso encontre algum mérito na sua intervenção, o saberei reconhecer, na certeza porém de que a forma de actuação deste orgão está a ser, simplesmente deplorável e, não é com métodos destes que se conquista a confiança dos cidadãos.

    Saberá igualmente que nunca quiz politizar este assunto. É demasiado mal cheiroso para tal, acrescentando-se o meu distanciamento aos políticos e à política de tricas e outras baixezas que em nada contribuem para a sua elevação, conduziram o Concelho e o País à condição miserável em que se encontram.

    Assim meu Caro Amigo, pedir-lhe-ia que apreciasse as minhas opiniões à condição estrita de cidadão que se sente enojado com tudo o que se desenrola em volta deste assunto e, caso lhe seja possível, sinta a indignação de quem assiste impotente às atrocidades que impunemente se vão cometendo perante a passividade de quem tem o dever de impedir que este país seja uma terra onde apenas os pilha galinhas são levados à justiça.

    Cordialmente.

    Quanto

  3. Olá Abel
    Eu percebo a indignação que se sente em relação à forma como correu todo o processo. Eu também não estou obviamente contente com a situação e acho que as entidades responsáveis pelas análises saem muito mal vistas da situação.
    Agora, penso que foi a pressão conjungada de toda a gente empenhada na questão, que permitiu pelos menos, que ao fim de 10 meses as análises fossem feitas e divulgadas. A CME também teve aí um papel como divulgarei brevemente, assim como o Abel, o BE, a comunicação social e etc..
    Quanto às análises chegarão concerteza a todos vós, embora seja da responsabilidade da CCRC, fazê-las chegar a vós.
    É claro que se as pedirem á CME certamente que serão fornecidas. Se o Abel quiser eu próprio lhe posso dar uma cópia. Mas brevemente voltarei ao assunto. E penso que não vale a pena andarmos aqui com frases incendiárias, nem com teorias da conspiração.

    Um abraço

    José Matos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s