O euromilhões

Há sexta-feira é sempre a mesma coisa. No quiosque onde passo há filas para o euromilhões. Gente a tentar ficar rica da noite para o dia. Desta vez havia um jackpot de 28.000.000 €. Os portugueses fartaram-se de jogar, mas o prémio não veio para cá. Um estrangeiro felizardo ganhou os 28.000.000 €. No 2º prémio também não tivemos sorte. Tudo para o estrangeiro. Só no 3º prémio é que tivemos umas migalhas. Dois apostadores portugueses ganharam 53.000 €.  

É melhor assim. Um tipo ganhar uns milhões da noite para o dia pode ser uma dor de cabeça. É de um tipo fugir. De esconder-se, porque de repente é perseguido por toda a gente. Toda a gente lhe pede dinheiro, todos querem alguma coisa. Deixamos de ter paz. Há sempre a hipótese de não dizermos nada a ninguém, mas aí como é que vamos justificar o carro novo? A casa nova? A mudança de padrão de vida? Mais vale 53.000 €. Não é muito e não ficamos ricos e não temos que mudar de casa, de sítio, de tudo o que temos. Mas eu nem isso. Nem 10 €. Bem, também não jogo…

O hospital

Cumpriu-se a vontade do Governo. Estive hoje a ler o despacho da ministra. Uma longa conversa para justificar o fecho. Lá traz os números a dizer que em 2007, apenas 7% dos antendimentos foram entre a meia-noite e as oito da manhã. É um facto que não é muito, mas não deixam de ser 7%.

Já aqui fiz o balanço diversas vezes e é pena que não se tenha conseguido a transformação do serviço num SUB.  Mas quem manda em Lisboa nunca mostrou nenhuma vontade nesse sentido. Portanto, conseguimos o possível e pouco adiantava continuar a protestar. O prostesto ia dar no mesmo, ou seja, num protocolo. Foi o que tiveram todos os outros, mesmo os que protestaram muito, como o caso de Anadia, que ainda não tem nada.

Aliás, tenho acompanhado a situação de Anadia, onde Litério Marques vai dando a ideia que resiste ao acordo. Está trilhado entre o Governo e a população, mas vai acabar por assinar alguma coisa. Disso não tenho dúvida. Portanto, fartou-se de fazer barulho de pedir isto e aquilo e no fim tem o mesmo que os outros. Não é por causa disso que vai perder as eleições, mas no caso dele é uma derrota. No fundo, o Governo nunca lhe fez a vontade, apesar da pressão pública que fez. Um caso para estudar e reflectir.

História desatinada de Portugal

Um livro que é uma compilação de algumas respostas de alunos nos testes de História de Portugal colhidas por Luis Mascarenhas.  O autor é professor de História e ao longo dos anos foi recolhendo respostas interessantes nos testes que fez. Há muita coisa para ver. Uma engraçada sobre o fim do Estado Novo e o 25 de Abril diz assim: o 25 de Abril foi o adeus à Ditadura e o olá à Liberdade. Está bem, nem eu diria melhor.

Fechou

Era a maior livraria do país. Nunca cheguei a passar por lá, mas agora que fechou perdi a oportunidade. Na altura cheguei ainda a pensar que uma livraria tão grande só podia aguentar-se em Lisboa, embora os custos fixos fossem enormes. Mas estava enganado. Nem em Lisboa. Foi à falência. Já não pagava aos fornecedores. O livro nunca foi um grande negócio e agora menos ainda…