A água e os truques habituais do PS

Já não é a primeira vez que vejo isto. Truque com os números, manipulações grosseiras para fazer passar uma certa teoria. Desta vez foi com a criação da nova empresa Águas da Região de Aveiro (ARA), a que Estarreja aderiu. É que era escusado o PS local andar a dizer que a água vai subir 130% até 2014, quando isso é falso e não passa de uma manipulação dos números para criar receio entre os consumidores e servir os apetites eleitorais do partido.

A adesão de Estarreja à ARA foi obviamente uma oportunidade que o município aproveitou para captar fundos comunitários neste novo modelo de gestão do sistema de abastecimento de água e saneamento, inventado pelo governo do PS. Quem ficar de fora da nova empresa não terá grandes oportunidades de fundos para a ampliação das redes de saneamento, nem para a manutenção da rede de água. Além disso, as autarquias aderentes terão dividendos da participação na empresa, que poderão ser usados para criar um Fundo Social, para ajudar os mais carenciados.

Que o PS local seja contra a adesão a esta nova empresa até se percebe, pois afinal parece que tinha muitas dúvidas sobre o modelo previsto na lei. Parece que gostava mais de um outro modelo que nem sequer está previsto na lei.

É que o Decreto-Lei nº 90/2009, de 9 de Abril, que estabelece a este nível o regime das parcerias entre o Estado e as autarquias locais só fala em três modelos de gestão possíveis: 1- uma entidade do sector empresarial do Estado em que participem municípios ou associações de municípios; 2- uma entidade do sector empresarial local em que participem entidades do sector empresarial do Estado; 3- uma entidade do sector empresarial do Estado legalmente habilitada para o exercício da actividade em questão. No nosso caso é as Águas de Portugal (Adp), que forma uma parceria com os municípios aderentes, portanto, a 1ª hipótese.

Perante este cenário, o PS local lá foi dizendo que não sabia muito bem qual era o melhor modelo para Estarreja, mas durante a discussão que ocorreu em assembleia municipal, quando interrogado por mim sobre uma solução alternativa, a deputada Marisa Macedo não hesitou em dizer que o modelo alternativo do PS era a Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) concorrer aos fundos comunitários e depois contratualizar qualquer coisa com as Águas de Portugal (Adp).

Por aqui, vê-se logo que o PS tinha uma solução tão imaginativa que nem sequer estava prevista na lei, pois qualquer solução implica sempre a constituição de uma empresa com a participação do Estado e a CIRA também não é uma entidade do sector empresarial local, para configurar a 2ª hipótese. Ou seja, como é que um partido político vem para a uma assembleia propor soluções para um problema que nem sequer estão previstas na lei? Dá realmente que pensar, como também dá que pensar a conta dos 130% de aumento. Não sei quem foi o expert do PS que fez a conta, mas o autor da proeza não deve ser muito bom a matemática, pois manipulou os dados para fazer passar uma certa teoria alarmista. Senão vejamos. Existem actualmente 4 escalões em relação ao consumo de água com tarifas diferentes em relação ao preço por metro cúbico. A forma como serão aumentados no futuro é obviamente diferente de escalão para escalão, daí que a metodologia de análise mais correcta é fazer uma média dos 4 escalões e a partir daí calcular qual vai ser o aumento médio, pois afinal o aumento vai calhar a todos, embora de forma diferente consoante o escalão.

No caso de Estarreja a tarifa média é de 1,26€. A partir desta tarifa média podemos fazer uma projecção sobre o aumento da mesma nos próximos 5 anos. Ora esse trabalho foi feito pela consultora Deloitte, que chegou à conclusão que a actual tarifa média de 1,26€ subirá para 1,61€, ou seja (+28%).

Como é que o PS local aparece então com um aumento de 130%? É evidente que não usou a tarifa média para o cálculo, mas sim apenas os valores de alguns escalões (os dois primeiros segundo me parece) manipulando assim o resultado. Tudo isto para dizer que o modelo é mau e que coligação aprovou um mau modelo, pois a água vai subir (como se não subisse mesmo que Estarreja estivesse fora da ARA).

Só é pena que perante tantas dúvidas não tenham falado com os seus camaradas de partido de Águeda, de Albergaria-a-Velha, da Murtosa ou de Sever do Vouga, que parece terem percebido claramente o que estava em jogo votando favoravelmente a proposta de adesão à ARA. Mas cá está, o PS de Estarreja, juntamente com o de Aveiro, Ílhavo e Ovar é concerteza mais esperto que os outros todos. Aliás, é espantoso como é que perante tal grau de esperteza estejam todos na oposição!

(In Jornal de Estarreja)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s